10/10/2013

cofrinho de preciosidades

estou com vontade de escrever contos - diz ela.
contos? como assim? - ele responde
é um pedaço bem pequeno de um dia, ou situação, que pode ou não ser verídica, adicionado à magia e dinamismo do momento, arte romântica e um pouco de realidade diária, à uma situação que seria completamente normal, vista do ponto de vista dos personagens no momento exato do suposto acontecimento - ela respondeu, transpirando e com brilho nos olhos de sonhos realizados. 

ele não parece entender.

dita com letras maiúsculas o quão estranha sua amada é, e se sente bem em ver que também não entendeu o que muitos não entenderiam.
burrice.
talvez ela precise de um curso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário